quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Amar, Verbo Transitivo


Nasço amores
Chego amassos
Moro abraços
Chovo flores


Amanheço idades
Anoiteço brigas
Sorrio cantigas
Choro saudades


Converso festas
Fracasso juras
Morro loucuras
Viajo promessas


"Amo". E sem objeto [direto / indireto]?
"Amo". E sem complemento? Que tom mais cinzento!
"Amo". Sem-eira-nem-beira? Que besteira!
"Amo". E só? Tenha dó!


Que me perdoe Mário de Andrade
e Carlos Drummond me permita,
mas, se o amor não transita,
não é amor de verdade:
É parasita!


2 comentários:

Agnaldo Martino disse...

Muito bom!
Sou professor de língua portuguesa e gostaria de usar seu poema em minha aula.
Você me permite isso?
Um abraço
Agnaldo Martino
agnaldomartino@gmail.com.br

Pedro Matos Guilherme disse...

Fantástico!...